Sumário Econômico 1518

Vendas do varejo em 2017 recuperaram 1/5 do estrago provocado pela crise - Inflação e juros historicamente baixos permitiram a reação do setor no ano passado, mas recuperação do setor será lenta. Para 2018, a CNC projeta alta de 5,0% no varejo ampliado e de 3,2% no varejo restrito. O volume de vendas do varejo ampliado acumulou alta de 4,0% em 2017, segundo a Pesquisa Mensal de Comércio (PMC), divulgada em 09/02, pelo IBGE. Esse foi o primeiro resultado anual positivo do setor desde 2013 (+4,3%). No conceito restrito – que conta com apenas oito dos dez ramos do varejo –, houve alta de 2,0% em relação a 2016. No conceito ampliado do varejo, a crise durou três anos e gerou uma perda acumulada de volume de vendas de 20,5%.

Retomada com pouco mais vigor - Ainda que possa parecer cedo, os analistas do mercado financeiro esperam para o corrente ano que o desempenho da economia brasileira fique num nível acima do ano passado, sinalizando que o processo de recuperação continua se estendendo pelos setores, com pouco mais vigor. Após ter experimentado duas contrações, em 2015 (-3,8%) e 2016 (-3,6%), se o mercado estima que o PIB de 2017 pode ter ficado em 1% (o dado oficial não foi divulgado, mas essa é a taxa prevista), para 2018, a boa notícia é que recentemente revisou para cima a última previsão depois de um mês estabilizada: de 2,70% passou para 2,80%.

Suécia: circulação de moeda cai ao nível mais baixo desde 1990 - As placas de "Não aceitamos dinheiro em espécie" estão se tornando uma visão cada vez mais comum em lojas e restaurantes em toda a Suécia, pois os pagamentos estão cada vez mais migrando para os meios digitais e móveis. No entanto, o ritmo em que o dinheiro está desaparecendo preocupa as autoridades. Uma ampla revisão da legislação do Banco Central que está em andamento analisa especialmente essa situação, com um relatório preliminar que deverá estar disponível no próximo verão. "Se esse desenvolvimento com o desaparecimento de dinheiro acontecer muito rápido, pode ser difícil manter a infraestrutura para lidar com dinheiro”, disse Mats Dillen, chefe da revisão parlamentar.

Cadastro ambiental rural – prazo final – 31 de maio de 2018 - A agricultura brasileira conta com um novo e poderoso instrumento de planejamento e análise denominado Cadastro Ambiental Rural (CAR). Seus dados revelam o papel decisivo da agropecuária na preservação ambiental e apontam tendências, até então desconhecidas, na ocupação das terras do País. A inscrição do CAR é o primeiro passo para obtenção da regularidade ambiental do imóvel. O prazo final para fazer o CAR vai até o dia 31 de maio de 2018.

Download

  • Sumário Econômico - nº 1518 | Download

Comments

0

Os comentários serão moderados, portanto evite o uso de palavras chulas, termos ofensivos ou comunicação vulgar. Se tiver alguma dúvida sobre o tema abordado aqui, use a nossa Área de Atendimento. Talvez a resposta já esteja lá.

Post new comment

The content of this field is kept private and will not be shown publicly.