12 February, 2019

Turismo debate pautas prioritárias em reunião na CNC

Crédito: Paulo Negreiros

Dirigentes da Confederação participam da primeira reunião do Cetur/CNC em 2019

A Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) reuniu, no dia 6 de janeiro, 25 entidades que representam segmentos da cadeia produtiva do turismo. O evento aconteceu na sede da entidade em Brasília, durante encontro do Conselho Empresarial de Turismo e Hospitalidade (Cetur). A primeira reunião do ano do Cetur/CNC contou com a presença dos principais executivos da diretoria da Confederação, e o trade debateu projetos de lei de interesse do setor.

Diretoria da CNC marca presença na reunião do turismo

Na ocasião, o presidente da CNC, José Roberto Tadros, afirmou que a Confederação vai trabalhar para ampliar a participação do turismo no Produto Interno Bruto (PIB) nacional. Segundo Tadros, apesar de ser campeão em atrativos naturais e se destacar pelas riquezas culturais, o País está distante de ser competitivo e ainda engatinha no desenvolvimento do setor. “Acreditamos que o turismo é que vai sustentar a recuperação de empregos, que a cada ano são reduzidos nos outros setores da economia. Dessa maneira, temos muito a fazer. Contem com o Cetur e com a Confederação”, afirmou.

Além do presidente, também marcaram presença no evento do Cetur o 1º vice-presidente da Confederação, Francisco Valdeci Cavalcante, o vice-presidente financeiro, Leandro Domingos, e o vice-presidente administrativo, Luiz Gastão Bittencourt. E a reunião foi conduzida pelo diretor da CNC Alexandre Sampaio. “A presença dos principais executivos da entidade nessa reunião demonstra o compromisso da Confederação com o turismo brasileiro”, afirmou Domingos.

Bittencourt, por sua vez, destacou a intenção de promover cada vez mais a união do setor na Confederação. “Nesse curto espaço de tempo que o presidente Tadros está à frente da Confederação, a orientação que temos é de buscar mitigar desgastes e problemas que existam. Queremos acabar com todas as diferenças, unir forças e reafirmar, cada vez mais, a legítima representação da CNC no turismo nacional”, disse o vice administrativo.

Proposições de maior impacto para o setor

Assessor legislativo da CNC, Felipe Oliveira apresentou os pleitos e posicionamentos do turismo junto ao Poder Legislativo. Segundo ele, a Assessoria Parlamentar (Apel) da Confederação acompanha 337 proposições de interesse do Cetur/CNC. Destes projetos, 101 estão focados no desenvolvimento do turismo, e os demais (236), em questões setoriais. Os membros do Conselho irão receber a tabela com as proposições para acompanhamento. Entre os temas de proposições setoriais, os mais recorrentes são dos segmentos de alimentação, transportes, meios de hospedagem, entretenimento/lazer e eventos.

Na reunião, mereceu destaque o Projeto de Lei (PL) nº 7413/2017, que trata da modernização da Lei Geral do Turismo (LGT). Segundo Oliveira, o projeto será desarquivado automaticamente por ser de autoria do poder executivo. Para o presidente do Fórum de Operadores Hoteleiros do Brasil (FOHB), Orlando Souza, a hotelaria não foi devidamente contemplada na proposta de alteração da LGT, o que gera insegurança jurídica às empresas. “Dos pleitos que a hotelaria apresentou, apenas um foi aprovado. Ficaram fora questões técnicas do dia a dia, que deixam a hotelaria vulnerável, como diárias fragmentadas e políticas de cancelamento”, afirmou Orlando.

A assessora do Cetur/CNC, Ana Paula Siqueira, explicou que a Confederação vai fazer uma força tarefa, com todas as entidades, para que o projeto tenha maior agilidade. “Faremos reuniões para debater como será a atuação conjunta, e queremos que as requisições das entidades presentes estejam no projeto”, concluiu.

Governabilidade

Segundo o assessor legislativo da CNC, as proposições devem ser alteradas na nova legislatura diante das renovações no Legislativo (61%), na Câmara dos Deputados (51%) e no Senado Federal (85%). Oliveira mostrou a nova composição do Congresso com crescimento da direita, manutenção dos partidos de esquerda e queda dos partidos de centro. Para ele, a perspectiva de governabilidade foi ampliada, o que permite a aprovação das pautas do governo, como as reformas da previdência e tributária. “Podemos visualizar essa governabilidade a partir do espectro ideológico partidário. No novo Congresso, há 49% de parlamentares de apoio, 21% de parlamentares a serem convencidos pelo governo e 30% da oposição”, explicou.

“Teremos muito trabalho pela frente este ano. Precisamos nos unir cada vez mais, formar um setor verdadeiramente forte e coeso. Os empresários precisam conquistar maior participação nas decisões do Poder Público, e o Estado, por sua vez, tem de assumir o compromisso de cuidar da educação e gerar oportunidades e empregos no País", concluiu Alexandre Sampaio, diretor da CNC que coordenou a reunião do Cetur/CNC. 

Comments

0

Os comentários serão moderados, portanto evite o uso de palavras chulas, termos ofensivos ou comunicação vulgar. Se tiver alguma dúvida sobre o tema abordado aqui, use a nossa Área de Atendimento. Talvez a resposta já esteja lá.

Post new comment

The content of this field is kept private and will not be shown publicly.